Joseph Safra, homem mais rico do Brasil, morre em SP aos 82 anos

O banqueiro e dono do Banco Safra, Joseph Safra, morreu nesta quinta-feira (10), em São Paulo, aos 82 anos.

Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa do Banco Safra, ele morreu de causas naturais.

“É com imenso pesar que comunicamos o falecimento, nesta data, do Sr. Joseph Safra, aos 82 anos, de causas naturais”, diz o texto.

O banqueiro era considerado o homem mais rico do Brasil, de acordo com o último ranking de bilionários brasileiros da revista Forbes Brasil, com uma fortuna estimada em R$ 119,08 bilhões.

Entre os íntimos, Safra era conhecido apenas por “Seu José”. Casado com Vicky Sarfaty, ele teve 4 filhos e 14 netos. Nascido no Líbano em 1938, fazia questão de dizer que era orgulhoso de sua cidadania brasileira e de ser torcedor do Corinthians.

O sepultamento de Safra será nesta quinta-feira (10), às 13h, em evento reservado a familiares e amigos.

Mudança para o Brasil e trajetória

Joseph Safra nasceu no Líbano, em 1938. Ele se mudou para o Brasil na década de 60 para dar continuidade aos negócios de seu pai, Jacob, fundador do Banco.

Ele e o irmão, Moise, foram os grandes responsáveis pela ascensão do grupo Safra.

A dupla vem de uma tradicional família de banqueiros. Desde meados do século 19, familiares de Jacob Safra fundaram em Aleppo, na Síria, o Safra Frères & Cie, instituição financeira para empréstimos e operações de câmbio e ouro. Foi em 1920 que Jacob abriu o Jacob Safra Maison de Banque, em Beirute, no Líbano.

Em 2006, Joseph assumiu os negócios por completo ao comprar a parcela de 50% de Moise, que morreu em 2014.

O filho mais velho de Jacob, Edmond, também seguiu o caminho da família no mercado financeiro. Ele chegou a operar no Brasil, mas depois passou a ter Nova York como base. Fundou o Republic National Bank, que foi vendido em 1999 para o HSBC por US$ 10,3 bilhões. Pouco tempo depois, Edmond foi morto em um incêndio provocado em sua casa, em Mônaco.

Repercussão

Autoridades, associações e executivos do setor financeiro lamentaram a morte de Joseph Safra.

Em nota, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) disse que Joseph “visão estratégica sobre o país” e que “sua contribuição para escolas, museus e instituições, não só no Brasil, quanto em outros países, é marcante.”

Candido Botelho Bracher, presidente do banco Itaú, também emitiu nota de pesar. “Com o Grupo Safra, rompeu fronteiras e foi um dos pioneiros no mercado financeiro a se destacar internacionalmente”, afirmou.

Em uma rede social, João Doria (PSDB), governador de São Paulo, disse que a morte de Safra é “uma perda enorme”. “Deixa muitos amigos, admiradores e grande legado como empresário e filantropo. Construiu sua vida com décadas de dedicação e trabalho. Minha solidariedade a toda família Safra.”

 

Avatar

Últimas

Governo anuncia simplificações do eSocial e modernização de normas trabalhistas

O ministério da Economia trabalha com cenário de pós-pandemia no mercado de negócios. Por conta disso, o governo anunciou programa de eliminação da burocracia...

CVM aplica R$ 340 mil em multas a ex-diretores da Brasil Brokers por infrações

Claudio Kawa Hermolin e Hebert Ferreira Braz Junior foram multados em R$ 170 mil cada em caso relacionado a demonstrações financeiras de 2018 A Comissão...

Relação com EUA não deve retroceder mesmo com vitória democrata, diz Mourão

Apesar do presidente Jair Bolsonaro ter se mostrado nos últimos dias confiante na reeleição de Donald Trump nos EUA, ressaltando que a vitória do...

Após prisão, blogueira que acusou ex-marido de agressão é solta

A blogueira Sayma Dualibe, de 24 anos, foi presa por suspeita de porte ilegal de arma, receptação e falsificação de documento público Alan Kleyson Barbosa...

IBGE: Brasil tem 3.300 espécies de animais e plantas ameaçadas de extinção

Cerca de 3.300 espécies de animais e plantas estão ameaçadas de extinção no Brasil, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)....