Riva detalha tentativa de comprar silêncio de empresário delator por R$ 5 milhões

Ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), José Riva detalhou à Justiça Federal a tentativa comprar por R$ 5 milhões o silêncio do empresário Junior Mendonça, delator premiado na Operação Ararath.
A informação, divulgada pelo site Gazeta Digital, foi exposta por Riva em audiência sobre a compra de uma vaga no Conselho do Tribunal de Contas (TCE). Na mesma audiência, o ex-parlamentar garantiu que “acertava” a vaga quem possuía capacidade de pagar.
 
“Foi realizada uma reunião na casa de uma irmã do Sérgio, que era em um prédio lá na Avenida Antártica, era para expor a preocupação, uma estratégia, eles tinham pedido para o Blairo [Maggi] intervir para tentar ajudar, foi quando naquela ocasião levantaram que tinha que levantar R$ 5 milhões, que era o que o Gércio Marcelino queria para não delatar”, afirmou Jose Riva.
 
Com a declaração realizada em março, José Riva assumiu a condição de colaborador unilateral. O objetivo da nova postura é alcançar benefícios como diminuição de pena futura ou mesmo absolvição.
 
O encontro ocorreu logo após busca e apreensão na casa de Junior Mendonça. Porém, o resultado não foi o esperado. Blairo Maggi teria negado ajuda. “Essa reunião acabou não tendo muito efeito porque quando foram atrás do Blairo ele disse ‘cada um se vira com o seu’”.
 
Compra de vaga
 
O processo pela compra da vaga formulado pelo Ministério Público Federal (MPF) na Operação Ararath aciona, além de Riva, Éder Moraes, Alencar Soares, Humberto Bosaipo, Silval Barbosa, Leandro e Leonardo Soares, Márcia Soares Metello e Marcos Tolentino.

A suspeita sobre a negociação da vaga surgiu justamente após depoimentos do empresário e delator premiado, Júnior Mendonça. O colaborador contou que o esquema teria sido iniciado em 2008, quando Sérgio Ricardo ainda ocupava o cargo de deputado estadual e era presidente da Assembleia Legislativa.

O ex-deputado estadual confirmou em colaboração unilateral que se beneficiava com a vaga quem possuía mais dinheiro.

“Isso é muito claro lá no colegiado. Se falava assim: Você tem dinheiro? Não. Lá vai precisar tanto. Se tem? Não. Então eu vou providenciar. Então quem providenciava mais, quem negociava ia. Isso não foi só com o Sérgio [Ricardo]. Em outros momentos eu creio que funcionou assim. Mas especialmente nessa do Sérgio funcionou assim”
 

Avatar

Últimas

Alan Cimerman negocia com empresas brasileiras para a privatização do Jalapão no Tocantins

Um dos maiores empresários do Brasil, Alan Cimerman negocia com empresas e outros empresários pela privatização do Parque Estadual do Jalapão, no Tocantins. O Jalapão...

Vereadores afastados por suspeita de peculato e concussão vão retornar à Câmara de Teresópolis, no RJ

Habeas corpus concedido pelo STJ beneficiou seis parlamentares afastados após uma operação deflagrada em maio do ano passado. A quinta turma do Superior Tribunal de...

CVM multa em R$ 3 milhões day trader que teve lucro fora do normal em 249 operações com dólar

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) decidiu multar em R$ 3.245.455,78 o trader Fernando Reina Rebane que, por meio de suspeitas operações de contratos...

Como reduzir gordura abdominal?

Uma pesquisa realizada pela escola de saúde pública da Universidade de Harvard resolveu estudar esses dois tipos de exercício com foco na composição corporal,...

Passion for fashion turned into a freelance careert

His wherein male land form. Own whose they're gathered is let male kind from. A you'll life waters evening fly female won't...