Cirurgião Marcelo Heidrich esclarece o que é laparotomia exploradora

Algumas vezes, para se obter o diagnóstico de alguma doença ou de algum mal do qual o paciente vem sofrendo é necessário fazer um procedimento chamado laparotomia exploradora. Segundo o cirurgião-geral Marcelo Marcos Heidrich, trata-se de uma abertura cirúrgica da cavidade abdominal com o objetivo de observar os órgãos e identificar a causa de determinado sintoma ou alteração em exames de imagem.

Conforme explica Marcelo Heidrich, a laparotomia exploratória é realizada ao se constatar sinais de alterações dos órgãos abdominais, por isso é dito que sua finalidade é voltada ao diagnóstico. “Apesar de ser um procedimento eletivo, a laparotomia exploratória pode ser feita em casos de emergência, como em grandes acidentes de carro, por exemplo”, esclarece o cirurgião.

Na maior parte das vezes, de acordo com Marcelo Heidrich, o exame é indicado com o intuito de investigar algumas suspeitas, como sangramento abdominal; perfurações no intestino; inflamação do apêndice, intestino ou pâncreas; presença de abscessos no fígado; sinais indicativos de câncer (principalmente pâncreas e fígado) ou presença de adesões.

Por ser um procedimento invasivo, esse tipo de exame diagnóstico deve ser realizado no centro cirúrgico com o paciente sob sedação. “Também é recomendado que a pessoa permaneça no hospital para acompanhamento, facilitando assim sua recuperação. Sem contar que isso reduz o risco de complicações, como hemorragias e infecções”, explica Marcelo Heidrich.

A laparotomia exploratória ainda pode ser considerada para investigar algumas condições no organismo feminino, tais como endometriose, câncer de ovário e do colo do útero, ou mesmo uma gravidez ectópica. “A diferença é que, nestes casos, em vez da laparotomia geralmente opta-se pela videolaparoscopia, feita com pequenas incisões para a passagem de uma microcâmera, sem necessidade de um corte maior”, destaca o cirurgião-geral Marcelo Marcos Heidrich.

No caso de qualquer alteração encontrada durante a laparotomia exploradora, segundo explica Marcelo Heidrich, pode ser coletada uma amostra de tecido para biópsia. “Outra possibilidade, em caso de identificação de qualquer alteração, é a realização da laparotomia terapêutica, que consiste no tratamento e correção do problema”, diz.

Ainda pelo fato de tratar-se de um procedimento invasivo, Marcelo Heidrich destaca a possibilidade de algumas complicações, como problemas relacionados à coagulação, aumento do risco de hemorragias e infecções, formação de hérnias ou mesmo dano a algum órgão localizado na região abdominal. “Essas complicações, apesar de não serem comuns, costumam acontecer durante a laparotomia exploradora de emergência. Pacientes fumantes, que ingerem muita bebida alcoólica, diabéticos, obesos ou com outras doenças crônicas também exigem uma atenção maior”, ressalta o cirurgião geral.

Últimas

O ministro da Defesa de Lula será um civil, afirma Mercadante

O coordenador dos grupos temáticos do Gabinete de Transição, Aloizio Mercadante, disse, nesta sexta-feira (18/11), que o ministro da Defesa do governo do presidente eleito Luiz...

A bola da Copa do Mundo do Catar

A Copa do Mundo do Catar já tem sua bola oficial revelada, a “Al Rihla”, que em uma tradução do árabe para o português...

Rio Grande do Sul se mantém com uma bandeira vermelha

A região classificada como alto risco epidemiológico é a de Santa Rosa Santa Rosa registrou, ao longo da última semana, 19 hospitalizações confirmadas por...

Fátima Bernardes grava ‘The Voice’ e não agrada produção da Globo

Segundo o A Tarde é Sua da última quinta-feira (11), a jornalista e apresentadora Fátima Bernardes não teria agradado a produção da Rede Globo com seu...

Em dia de eleições nos EUA e ata do Copom, títulos prefixados têm alta nesta tarde

SÃO PAULO – As taxas dos títulos públicos negociados pelo programa Tesouro Direto operavam em alta na volta do mercado local após o feriado...