Aplub tem falência decretada

Medida tem como objetivo estancar a sangria financeira

Com 56 anos de existência, a empresa acumula mais de R$ 700 milhões em dívidas

Uma das companhias mais conhecidas e tradicionais do Sul teve a autofalência aprovada pela Vara de Direito Empresarial, Recuperação de Empresas e Falências da Comarca de Porto Alegre na terça-feira (15). O pedido envolvendo a Associação dos Profissionais Liberais Universitários do Brasil (Aplub) foi deferido em menos de um dia após a entrada da solicitação. A falência foi decretada pela juíza Giovana Farenzena. Trata-se da maior falência registrada na capital gaúcha – tanto em número de credores como em volume total da dívida. Com 56 anos de existência, a empresa acumula mais de R$ 700 milhões em dívidas.

Há alguns anos, a Aplub buscava vender seus ativos e utilizar os recursos advindos para cobrir o déficit. Porém, nenhum negócio se concretizou com os interessados. Segundo a Scalzilli Althaus, escritório contratado pela Aplub, por meio da intervenção regulada pela Superintendência de Seguros Privados, não restou alternativa além da falência. “Embora seja drástica, essa medida busca justamente preservar o interesse dos associados. Tivemos de estancar essa sangria o quanto antes, ou os danos seriam ainda maiores. A falência foi a ação correta a ser tomada”, explica a advogada Gabriele Chimelo, sócia da Scalzilli Althaus, escritório contratado pela empresa por meio da intervenção regulada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep).

De acordo com a advogada e sócia Verônica Althaus, diversas tentativas foram feitas pela superintendência para estancar a sangria da Aplub, mas sem sucesso. “Estamos falando de um grande número de pessoas de boa-fé que investia, periodicamente, parte expressiva de sua renda e contava com isso para se aposentar. Elas confiavam na empresa, com a certeza de que teriam esse retorno no futuro. Só que, da forma como a Aplub estava, essas pessoas não receberiam esses recursos. É uma medida que, inclusive, deveria ter sido tomada antes”, reitera.

A maior parte dos débitos refere-se aos 20 mil trabalhadores que contribuem com a previdência complementar. O escritório Scalzilli Althaus esclarece que os associados foram enquadrados na categoria de privilégio geral. Dessa forma, após a venda dos ativos da companhia, serão os primeiros a receber os valores devidos. A intervenção na Aplub é a maior em andamento na Susep, autarquia federal responsável por autorizar, controlar e fiscalizar os mercados de seguros, previdência complementar aberta, capitalização e resseguros no Brasil.

Desde dezembro de 2015, a Aplub está sob intervenção da Susep. Em agosto de 2018, a entidade já havia decretado a liquidação extrajudicial da companhia — que chegou a ter 30 mil associados, seis mil beneficiários e 120 empregados e mais de 150 mil pontos de vendas, além de distribuidores e corretores em todo o país.

Últimas

Pastor da Mundial faz graves denúncias contra o bispo Carlos Lourenço

Neste domingo (05/06), viralizou nas redes sociais um vídeo de um pastor da Igreja Mundial do Poder de Deus (IMPD), da cidade...

Fernando Zor fica indignado com mensagem que seguidor mandou para sua filha: ‘Sem noção’

O cantor Fernando Zor compartilhou nas redes sociais que ficou indignado ao ver que um seguidor da sua filha mais velha, Kamily, de 18...

Victor Capixaba é o novo reforço do São Caetano

O Centroavante Victor Capixaba de 28 anos, ex jogador do VilaVelhense é o novo reforço do São Caetano-SP. A equipe paulista que recentemente contratou o...

Simaria anuncia que dará tempo na carreira

Depois de alguns dias turbulentos, Simaria dará um tempo na carreira. Em comunicado oficial, nesta quinta-feira (16), a assessoria de imprensa da dupla Simone &...

Mayra Cardi revela que vai casar ‘em breve’

Mayra Cardi revelou, na noite desta segunda-feira (21), que vai casar "em breve". A influenciadora, que enfrentou uma separação conturbada com Arthur Aguiar, contou...