TRE do Ceará cassa diploma do deputado federal Pedro Bezerra (PTB), filho do prefeito Arnon Bezerra

Desembargador disse que o modo de agir do deputado federal foi “nefasto e repulsivo”. Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados.

Em sessão virtual, realizada na quarta-feira (25), o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, (TRE) presidido pelo desembargador Haroldo Máximo, cassou o diploma do deputado federal Pedro Augusto Geromel Bezerra de Menezes (PTB), e tornou inelegível por oito anos a secretária de Educação de Juazeiro do Norte, Maria Loureto de Lima, por uso Abuso de Poder Econômico/Político/Autoridade nas Eleições 2018. A eficácia da decisão observará o disposto no § 2º do artigo 257 do Código Eleitoral. Da decisão do TRE cabe recurso para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Pedro Bezerra é filho do prefeito de Juazeiro do Norte, José Arnon Bezerra. O primeiro suplente de deputado federal da coligação de que participou o PTB, em 2018, é Aníbal Gomes (DEM). A decisão do TRE, cassando o mandato de Pedro Bezerra, ocorreu no mesmo dia que foi garantida a vitória de Glêdson Bezerra, como prefeito de Juazeiro do Norte, derrotando Arnon Bezerra, que disputava a reeleição.

Os integrantes do TRE, na mesma decisão, determinaram a remessa de cópia dos autos ao Ministério Público da comarca de Juazeiro para adoção das medidas cabíveis, bem como que seja realizado o desmembramento do feito, com extração de cópias necessárias para a autuação da representação por conduta vedada, procedendo-se à apuração da suposta prática de conduta vedada prevista no art. 73, I e III, da Lei nº 9.504/97.

O relator da Ação de Investigação Judicial Eleitoral nº 0603153-88.2018.6.06.0000, desembargador Inácio Cortez, destacou no voto: “A denúncia do Ministério público Eleitoral e a robustez das provas obtidas por meio da busca e apreensão realizada pela Polícia Federal demonstram um modo de agir nefasto e repulsivo de manipulação da máquina pública por parte da Secretária de Educação, que extrapolando do seu poder de autoridade administrativa e se utilizando de bens públicos para fins de campanha, intimidou servidores a trabalhar de forma orquestrada e contínua em prol de determinada candidatura, caracteriza o abuso de poder político previsto no art. 22 da LC nº 64/90″.

Últimas

Agora é oficial: Tadeu Schmidt vai comandar o Big Brother Brasil

Após oito anos no Fantástico, Tadeu Schmidt, 47, será o novo apresentador do Big Brother Brasil. A TV Globo fará o anúncio na próxima...

São Paulo ganha semáforos em homenagem ao dia da Consciência Negra

Em homenagem ao Dia da Consciência Negra, a cidade de São Paulo ganhou sete novos semáforos que estimulam a luta contra o racismo. Em alguns...

Com a pandemia, turismo mundial sofre queda de 70% em 2020

Em 2020, o turismo global foi duramente atingido pela pandemia. Nos oito primeiros meses do ano, o número de viagens internacionais caiu 70% em...

Andréia Sadi e André Rizek serão pais de gêmeos

O casal de jornalistas Andréia Sadi e André Rizek serão pais de gêmeos. A notícia foi informada pelos apresentadores da Globo durante a participação...

Falsa vidente aplicou golpe de R$ 50 milhões em empresário

Suposta vidente aplicava golpes e cobrava grandes quantias para "proteger" as vítimas Em 2009, um amigo indicou ao empresário Emídio Mendes, 69 anos, uma pessoa...