“Só quis me defender”, diz advogado preso após efetuar disparos contra manifestantes na BR-060

O advogado criminalista, BhenHur Rodrigo Bresciani, preso na tarde dessa segunda-feira (31), após efetuar três disparos de armas de fogo para o alto ao tentar furar o bloqueio rodoviário feito por manifestantes na MS-060, região de Sidrolândia, em Mato Grosso do Sul, gravou um vídeo relatando a sua versão da história.

BhenHur mora em Ponta Porã e afirma que agiu em legítima defesa, após os manifestantes agirem de forma agressiva com ele. “Estava me deslocando até Campo Grande para trabalhar e fui parado nessa barreira. Preciso trabalhar, vivo às custas do meu trabalho, sou pai de família e sustento minha casa. Me vi obrigado a reagir, pois os manifestantes investiram contra mim, contra minha integridade física, contra minha vida e para preservar minha vida utilizei minha arma de fogo. Não feri ninguém e só quis me defender. Eu tentei passar a barreira e o pessoal começou a jogar coisas no meu carro e, ao mesmo tempo, um pessoal veio em direção e tentou abrir a porta do carro para me retirar de lá. Se eles tivessem consigo me tirar do carro, com certeza eles iriam me agredir, me espancar ou até me matar”, relata.

Rodrigo confirma que pegou sua arma, apontou para cima e efetuou três disparos que segundo ele, foi apenas para dispersar os manifestantes. “Foi uma atitude para repelir uma injusta agressão que eu estava sofrendo. Eu estava exercendo todos os meus direitos. Por ser advogado criminalista eu tenho porte federal de armas por já ter sofrido atentados e ameaças pela minha profissão. O porte me foi concedido para minha proteção pessoal”, disse.

Na oportunidade, o advogado elogia a postura dos policiais que o conduziram até a delegacia. “Eles foram extremamente educados. A todo momento eles ficaram em volta de mim tentando garantir minha segurança e proteção. Eu nunca respondi nenhum processo, não tenho nome sujo e não devo nada para ninguém”, finalizou o vídeo.

O advogado pode ser indiciado pelo crime de disparo de arma de fogo em via pública. Com ele foram apreendidos um canivete, uma pistola Taurus 9mm e 48 munições, sendo dois carregadores com 17 munições e outro com 14.

Conforme a delegada responsável pelo caso, Barbara Fachetti, o inquérito foi instaurado para melhor apuração da situação. “Pela nossa deliberação houve um excesso e por isso que a gente o autuou em flagrante delito por disparo de arma de fogo. Ele é advogado, a OAB acompanhou tudo, arbitramos fiança ele pagou e foi liberado. Agora o inquérito foi instaurado e a gente vai apurar melhor”, explicou Barbara.

Até o momento, são quatro pontos com manifestação dos bolsonaristas após o resultado das eleições, nas rodovias federais de Mato Grosso do Sul. Em Dourados, na BR-163, km 256; em Bandeirantes, na BR-163, km 550; e dois em Campo Grande, na BR-163, km 466 e 490.

Últimas

Criança quase morre ao ser envenenada por planta; mãe faz alerta

Uma menina de seis anos foi envenenada ao entrar em contato com uma planta em Iowa, nos Estados Unidos. A mãe usou as redes...

INSS inicia pagamento do décimo terceiro antecipado; saiba como receber

Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começaram a receber na segunda-feira (25) a antecipação do décimo terceiro. Até 6 de maio,...

Confira 5 sintomas vasculares que podem aparecer depois da Covid

Não são apenas os sintomas clássicos das doenças respiratórias que podem ser associados com Covid-19. Já se sabe que a doença possui...

Após prisão, blogueira que acusou ex-marido de agressão é solta

A blogueira Sayma Dualibe, de 24 anos, foi presa por suspeita de porte ilegal de arma, receptação e falsificação de documento público Alan Kleyson Barbosa...

Eólicas sustentam abastecimento de energia do Brasil

A previsão é que a eletricidade gerada pela força dos ventos alcance cerca de 20% de abastecimento...