MP apresenta segunda denúncia contra Jairo Jorge em suposto esquema de fraude em licitações

Acusação aponta que houve sobrepreço de pelo menos R$ 656 mil em dois contratos emergenciais do Samu

O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) apresentou a segunda denúncia contra o prefeito afastado de Canoas, Jairo Jorge (PSD), resultante da Operação Copa Livre, desencadeada em 31 de março. 

Além de Jairo Jorge, que está afastado da prefeitura desde o cumprimento dos mandados, foram denunciadas outras 13 pessoas, incluindo empresários, servidores públicos e políticos. 

De acordo com procurador de Justiça e coordenador da Procuradoria da Função Penal Originária, Ricardo Herbstrith, e o promotor Marcelo Dossena Lopes dos Santos, que assinam a peça, houve favorecimento da empresa C.A.P Serviços Médicos Ltda e dispensa indevida de licitação nos dois contratos. Além disso, sobrepreço de cerca de R$ 656 mil, sendo R$303.748,89 em um e R$352.354,88 no outro contrato, ambos firmados para o período de fevereiro a agosto de 2021.

Nesse processo, Jairo Jorge é acusado de dispensa indevida de licitação, cuja pena, em caso de condenação, vai de três a cinco anos de prisão e multa. 

Conforme a denúncia, havia três núcleos no suposto esquema criminoso: o político, que teria o prefeito como líder, o empresarial, responsável pelo suposto pagamento de propina para fechar os contratos, e o jurídico, que tentava passar uma ideia de legalidade no que era firmado entre as partes.

Em julho, Jairo Jorge e mais 16 pessoas foram denunciados por corrupção (ativa e passiva), lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e peculato, cometidos entre 2020 e 2021. São crimes relacionados à dispensa de licitação em contratos para prestação de serviços terceirizados de limpeza e copeiragem.

As duas denúncias estão em análise pela 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

Contrapontos

O que diz a defesa de Jairo Jorge

GZH entrou em contato com o escritório de advocacia que defende Jairo Jorge e aguarda retorno. Mais cedo, a assessoria do prefeito enviou nota para a reportagem, quando questionada sobre a prorrogação do afastamento do prefeito do cargo. Confira a íntegra:

 “O prefeito Jairo Jorge provará nos processos judiciais sua inocência. Segundo ele, é preciso provas e não meras convicções. Ninguém é culpado antes de ser julgado, todos são inocentes até que se prove efetivamente a culpa. Por isso, não há motivos para a manutenção do afastamento do cargo de prefeito, como admite o próprio Ministério Público. Além do fato de que todas as testemunhas foram ouvidas e faltam apenas dados bancários para completar a investigação, Jairo Jorge cumpriu rigorosamente as medidas cautelares e não tem histórico de práticas ou denúncias de corrupção”. 

 

Últimas

MP denuncia Jairo Jorge, prefeito afastado de Canoas, por fraude em contratos de serviços terceirizados

Acusação aponta que crimes envolvendo serviços de limpeza e copeiragem foram cometidos entre 2020 e 2021, com promessa e recebimento das vantagens indevidas. Defesa...

História secreta de amor com Ayrton Senna é tema da autobiografia que chega ao Brasil

A italiana Cristina Pensa lança sua autobiografia no Brasil onde narra, entre tantos desafios ao longo da vida, seu romance secreto com o ex...

Vencedor de A Fazenda, Rico Melquiades, surpreende ao mostrar sua mala

O ganhador da 13ª edição do reality está compartilhando todos os detalhes do pós-programa em suas redes sociais. Dessa vez, , Rico Melquiades surpreendeu o...

O novo amor de Fernanda Souza

A atriz Fernanda Souza divulgou que está namorando uma mulher, chamada Eduarda. A apresentadora compartilhou a informação com os seus seguidores nesta sexta-feira (22). “Somos muito gratas...